Atendimento 24 Horas 31 3511-6033 ou 3532-4684   

Notícias

Curiosidades sobre o Hamster

Hamsters não são roedores originários das Américas são originários da Ásia (China), Oriente Médio (Síria) e Europa (Rússia e outros países europeus).São roedores de hábitos noturnos apesar de terem curtos períodos de atividade diurna o que dificulta na vida de cativeiro as observações sobre o padrão alimentar, a atividade dentro da gaiola, observação das fezes e sinais de doenças pois o proprietário muitas vezes está fora de casa o dia todo e quando chega a noite nem sempre tem tempo para observar sinais e sintomas clínicos de doenças.

Quem cria um hamster tem que saber certos detalhes da sua anatomia e fisiologia para não interpretar erradamente o que é normal do que é indício de doença. Os hamsters possuem bolsas faciais que são evaginações da cavidade oral ou seja “pregas” da pele na região das bochechas para armazenamento de alimento que são transportados dentro da boca para serem estocados em galerias ou tocas subterrâneas onde se esconde a maior parte do dia. As corujas de hábitos noturnos são as suas maiores predadoras, pois a noite é sua hora de maior movimentação na condição de vida selvagem, o que coloca todos roedores em estado de alerta constante. A cor da pelagem varia de castanho avermelhado, canela, creme, malhado e muitas vezes é um fator de camuflagem para se protegerem dos predadores noturnos. O tamanho do pêlo pode variar de pêlo curto ao longo em função da região onde são encontrados na natureza podendo ser montanhas geladas a desertos, por isso são animais que suportam grandes variedades de temperatura como ocorre nas regiões desérticas onde as noites são muito frias enquanto de dia o calor só aumenta. 

Esse comportamento noturno leva muitas vezes aos proprietários destes animais a achar que o animal possa estar doente pois durante o correr do dia e por ser um animal de vida em tocas debaixo da terra e estando preso dentro de uma simples gaiola totalmente exposta não lhe sobra outra alternativa a não ser se enrolar como um tatu escondendo sua cabeça no meio do abdome o que passa a ideia que o animal possa estar doente, quando na verdade ele está se sentindo totalmente vulnerável naquele estranho ambiente das gaiolas que em nada se parece com uma toca. Por isso a importância crucial de que ao adquirir qualquer animal silvestre as pessoas antes de levar o animal para casa devem fazer uma consulta médica para que essas e todas as dúvidas sejam esclarecidas, evitando assim problemas futuros de doenças provocadas por erros no manejo, alimentação e na ambientação equivocada do animal na vida de cativeiro o que com certeza levará mais dia menos dia a alguma doença.

Está com alguma dúvida?

Se você tiver qualquer dúvida ou sugestão, favor entrar em contato conosco!